COMUNICAÇÃO / NOTÍCIAS


09/11/2017 - 14:45

Empregados da Caixa arrancam proposta, mas ainda insuficiente sobre Saúde Caixa

Empregados da Caixa arrancam proposta, mas ainda insuficiente sobre Saúde Caixa


Os empregados da Caixa arrancaram uma proposta melhor, mas ainda insuficiente, durante a reunião realizada na manhã desta quarta-feira (8), em São Paulo, entre a Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa), que assessora o Comando Nacional dos Bancários nas negociações, e a direção do banco. O encontro foi marcado para a Caixa dar um retorno às cobranças feitas pelos empregados, após a instituição informar alterações no Saúde Caixa, no último encontro da mesa permanente de negociação.

A Caixa concordou em transformar o Conselho do Usuário em deliberativo, porém, com um voto de minerva, e com a segregação contábil das contas. O banco atendeu outras duas reivindicações da classe trabalhadora e informou que garante a manutenção dos valores do Saúde Caixa, sem aumento abusivo, e a manutenção do modelo de custeio, até 31/12/2019. Os trabalhadores ainda garantiram um Grupo de Trabalho (GT), entre empregados e a Caixa, para discutir o contesioso da Funcef.

Os representantes dos trabalhadores cobraram ainda a questão da incorporação de função dos trabalhadores, garantia de emprego, visto que já houve uma série de demissões em empresas estatais, e a assinatura dos 19 pontos do Termo de Compromisso, entregue no dia 27 de outubro.

“Qualquer garantia que os empregados conquistarem é fruto da forte greve de mais de 30 dias em 2016 e das paralisações pela Greve Geral neste ano”, afirmou Dionísio Reis, coordenador do CEE/ Caixa.

Os empregados voltam a se reunir com a Caixa nesta quinta-feira (9).

Antes do início do encontro, os trabalhadores fizeram um ato em defesa da Caixa 100%, contra os ataques que a Caixa vem sofrendo.

Fonte: Contraf-CUT