COMUNICAÇÃO / NOTÍCIAS


09/08/2018 - 10:48

Reunidos em assembleia, bancários de Caxias do Sul rejeitam proposta da Fenaban

tituloImagemSYS


Os bancários de todo Caxias do Sul e região rejeitaram a proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), em assembleia realizada no início da noite desta quarta-feira, 8. A proposta apresentada pelos bancos no dia 7 propõe somente a reposição da inflação, sem aumento real. Em todo Brasil, assembleias da categoria fizeram coro ao “não” à proposta da Fenaban.

“Este ano começamos as negociações com a Fenaban ainda no início de julho. Já tivemos quatro reuniões abordando temas como condições de trabalho, saúde e emprego, e finalmente as questões econômicas. Até agora, no entanto, a Fenaban não nos trouxe respostas às nossas necessidades”, diz o coordenador da Secretaria de Organização e Política Sindical do Sindicato dos Bancários de Caxias do Sul, Nelso Bebber. “É muito importante dizer que a nova Lei Trabalhista impõe a necessidade de negociar novamente todas as conquistas que constam em nossa Convenção Coletiva de Trabalho, pois a ultratividade não nos garante mais nenhum direito a partir do dia 31 de agosto, quando encerra o prazo de validade da CCT 2017/2018”, lembra o sindicalista.

Os banqueiros também não garantiram que os bancários não serão substituídos por trabalhadores contratados de forma precarizada, a exemplo da terceirização. Além disso, querem alterar cláusulas da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria, segundo eles, para garantir segurança jurídica, mas sequer apresentaram a redação das modificações. A próxima rodada de negociação ficou agendada para o dia 17 de agosto (sexta-feira).

O coordenador da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer do Sindicato, Luiz Fernando Loro, destaca a necessidade de participação da categoria nas ações previstas para a Campanha Nacional dos Bancários 2018. “Esta será, certamente, uma das mais difíceis negociações dos últimos 14, 15 anos por conta da nova legislação trabalhista, que privilegia o negociado sobre o legislado. E só vamos garantir nossos direitos conquistados ao longo de muitos anos e frutos de muitas lutas se estivermos fortes e unidos”, reitera Loro.

Dia do Basta

Além de rejeitarem a insípida proposta, os bancários aprovaram a participação da categoria nas mobilizações que acontecerão nesta sexta-feira , 10, em todo o Brasil - o Dia do Basta. A data é contra os ataques aos direitos dos trabalhadores e contra o desemprego e a retirada de direitos. O Dia do Basta foi convocado pela CUT e demais centrais sindicais, com apoio das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo e de vários movimentos sociais.

Defesa dos bancos públicos

No dia 15 de agosto será realizado um Dia Nacional de Luta em defesa dos bancos públicos e contra as resoluções 22 e 23 da Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da União (CGPAR), em Brasília, em frente ao Ministério da Fazenda. Estas resoluções determinam que empresas estatais reduzam despesas com a assistência à saúde dos trabalhadores; e limita a 6,5% da folha de pagamento a participação no custeio dos planos de saúde dos funcionários pelas empresas públicas. Isso afeta tanto a Cassi (plano de saúde dos funcionários do BB), quanto o Saúde Caixa.

Fonte: Assessoria de Imprensa Bancax com informações da Contraf-CUT